sábado, março 12, 2011

Falando sobre decisões.

Falando sobre decisão, você foi a melhor. Mas será que algumas coisas nunca vão deixar de doer? Me pergunto diariamente onde encontro a cura para as feridas, que ainda latejam por aqui. As dores não me compreendem, eu não as compreendo. E nessa falta de compreensão, me perco por onde ando, mas não me desvio do meu objetivo maior. O crescimento é diário. E quem disse que eu iria ensinar a minha filha, mentiu. Ao seu lado aprendo desde o dia que ela começou a existir, ali, dentro de mim. Tão pequena, mas já tão gigante. Venho aprendendo muito mais do que ensinando. 
Será que algum dia poderei contabilizar o valor desse amor? 
Amo ser quem sou, desde que a conheci. 
Desde o dia que ela nasceu em mim. 

Te amo é singelo demais para o que sinto por nós duas. 
Porque dentro de mim há mais Lara do que Ananda. 
Há mais Mãe do que mulher.
Sou Ananda Mãe de Lara (sem vírgulas ou pontos) desde o dia que a aceitei para mim.
Às vezes me pergunto como Deus poderia me dar um presente tão inexplicavelmente especial, sendo eu quem sou. Ainda dizem por aí que Deus é fruto de imaginações férteis.. Pois é. Custo a compreender essa compaixão e gentileza do Deus que criou a maternidade... mas aceito de bom agrado e agradeço. Obrigada, Senhor!

Um comentário:

Sandra disse...

Ananda...

Que linda tradução de um amor que não tem começo, meio ou fim...

Perfeita!

beijos